[ux_slider draggable=”false” bullets=”false”]

[ux_image id=”177″]

[/ux_slider]
[section margin=”-30px”]

Andropausa

[/section]
[section bg_color=”rgb(255, 255, 255)” padding=”0px”]

[row style=”collapse” v_align=”middle” h_align=”center” padding=”0px 20px 0px 20px”]

[col span=”4″ span__sm=”12″ align=”center”]

[ux_image id=”551″ width=”90″]

[/col]
[col span=”8″ span__sm=”12″ padding=”0px 30px 0px 30px” align=”left”]

O que sãoOs cálculos urinários, comumente chamados de pedras nos rins, são cristais formados pela alta concentração de alguns tipos de sais nas vias urinárias. Além do rim, também podem estar localizados no ureter (canal que leva a urina do rim até a bexiga) e na bexiga.

Acometem cerca de 10% da população, principalmente na faixa dos 20 aos 50 anos de idade, sendo que o risco é aumentado no sexo masculino.

[/col]

[/row]
[row style=”collapse” padding=”0px 20px 0px 20px”]

[col span__sm=”12″ padding=”15px 30px 0px 30px” align=”left”]

Os sintomas variam desde os cálculos silenciosos, que não provocam sintomas, até cálculos impactados, que obstruem as vias urinárias e provocam uma dor lombar de forte intensidade (a famosa cólica renal), às vezes irradiada para parte da frente do abdome/genitais e associada a náuseas e vômitos.

Fatores de riscoA frequência dos cálculos urinários vem aumentado, principalmente em sociedades urbanas e industrializadas. Isso mostra que além da predisposição genética, os hábitos de vida, dieta e sedentarismo possuem um grande impacto na formação das pedras. Dentre eles destacam-se a baixa ingesta de líquidos e o alto consumo de sódio e proteínas animais na dieta.

DiagnósticoMuitas vezes os cálculos são encontrados em exames de imagem realizados na rotina médica. Outras vezes são diagnosticados em exames específicos nos pacientes com sintomas típicos de cólica renal. Os principais exames utilizados nos dias de hoje são a ultrassonografia das vias urinárias e a tomografia computadorizada.

[/col]

[/row]
[row style=”collapse” padding=”0px 20px 0px 20px”]

[col span=”8″ span__sm=”12″ padding=”15px 30px 0px 30px” align=”left”]

TratamentosAté 80% das pessoas que possuem diagnóstico de cálculo urinário não precisarão de tratamento cirúrgico ou medicamentoso. Com mudanças nos hábitos de vida que incluem hidratação adequada, dieta balanceada e exercícios físicos, o cálculo poderá ser eliminado naturalmente na urina.

Cálculos grandes (geralmente maiores de 7mm), múltiplos ou aqueles sintomáticos provavelmente necessitarão de alguma tipo de intervenção. Casos específicos e selecionados podem se beneficiar de uma terapia medicamentosa. Outros necessitarão de tratamento cirúrgico seja por ondas de choque, Laser ou energia ultrassônica. Todos os casos são únicos e devem ser tratados de maneira individualizada, por isso, uma consulta minuciosa com um urologista é fundamental.

[/col]
[col span=”4″ span__sm=”12″ padding=”0px 10px 0px 10px” align=”left”]

[ux_image id=”552″ width=”90″]

[/col]

[/row]

[/section]

(11) 3129-7100 WHATSAPP